“A fome pode ser erradicada com integração e política”, afirma Celso Marcondes

0

Encontro em Adis Abeba - Foto: Kelsen FernandesAdis Abeba – “A fome é, hoje, o problema mais sério da humanidade e pode ser erradicada com integração entre os países e com vontade política”, afirmou Celso Marcondes, coordenador executivo da Iniciativa África do Instituto Lula, durante o encontro sobre segurança alimentar realizado nesta segunda-feira, em Adis Abeba, na Etiópia.

Intitulado “Rumo ao renascimento africano: novas abordagens unificadas para erradicar a fome na África até 2025 no âmbito do CAADP”, o evento é promovido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, pela União Africana em Adis Abeba e pelo Instituto Lula.

O objetivo é reunir chefes de estado, especialistas, doadores e ONGs africanas e internacionais para compartilhar experiências, criar uma coordenação e desenvolver um plano de ação conjunto para erradicar a fome no continente africano. Atualmente, 239 milhões de africanos, quase um quarto da população, passa fome.

Para Marcondes, o Brasil pode ajudar a erradicar a fome na África por meio da cooperação técnica. Ele acredita que a possível contribuição dos brasileiros é trazer informações sobre os avanços com políticas sociais para que, quem sabe, possam ser úteis aos programas de desenvolvimento que os africanos já realizam.

Com informações do Instituto Lula