Países da África celebram o Dia Africano da Alimentação Escolar

0

 A global analysis highlights the country’s innovation in developing two complementary school feeding programs. Credit: Francis Peel, Imperial College London Partnership for Child Development
A global analysis highlights the country’s innovation in developing two complementary school feeding programs. Credit: Francis Peel, Imperial College London Partnership for Child Development

Com informações da ONU

Em 1º de março, países africanos e a ONU celebraram o Dia da Alimentação Escolar. Neste ano, autoridades do continente se reuniram no Zimbábue para debater os desafios políticos e jurídicos associados ao fornecimento de refeições em centros de ensino.

Na avaliação da comissária da União Africana sobre recursos humanos, ciência e tecnologia, Sarah Anyang Agbor, a alimentação escolar deve estar vinculada à agricultura familiar. Para a especialista, esse é um dos principais caminhos para elevar a matrícula escolar, principalmente entre as crianças das famílias pobres ou que vivem em áreas remotas.

De acordo com o relatório “Alimentação Escolar Sustentável na União Africana”, quase todas as iniciativas de alimentação escolar do continente têm como público-alvo os estudantes do ensino primário. Melhorias nas taxas de matrícula, frequência e outros indicadores sobre educação e aprendizado são os objetivos mais comuns dos programas. Essas estatísticas são frequentemente utilizadas para medir o sucesso ou o fracasso da alimentação escolar.

Para ampliar o impacto desses projetos, que podem melhorar a nutrição e a saúde dos alunos, além de impulsionar a produção agrícola, a análise recomenda o debate sobre a institucionalização da alimentação escolar.

O estudo foi coordenado pelo Centro de Excelência contra a Fome e pelo escritório do PMA na África e elaborado pelo Economic Policy Research Institute (EPRI), da África do Sul.

Acesse o relatório na íntegra clicando aqui.

 

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here