África em Verso: ‘O que nos abala’

0
  •  
  •  

Foto de Arquivo – Por dentro da África – Protesto em fevereiro de 2018 pelo ssassinato de um jovem negro no supermercado Extra, no Rio de Janeiro.

Ed Mulato, Por dentro da África 

Por dentro da África publica este poema no Dia da Consciência Negra* (20 de novembro) porque dois episódios marcam esta data em 2020: o assassinato de João Alberto Silvera* no estacionamento do supermecado Carrefour em Porto Alegre (RS) e a fala do vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, que se pronunciou afirmando que não há racismo no Brasil.

P´ra quem diz “não há racismo”,
e então vem, e fala, e fala, e fala:
só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Peles brancas no sobrado,
peles pretas na senzala:
só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Fartas negras, tetas fartas,
bocas brancas a sugá-las;
só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Costa preta como escada,
perna branca que a escala.
Só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Corpos brancos lá na elite,
corpos pretos lá na vala…
Só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Na cadeia, a carne preta,
na favela, nem se fala;
só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Com meu deus, meu compromisso,
o seu deus agride e cala.
Só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Se o racismo é mala leve,
então me ajude a carregá-la:
só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

Gente preta, é o racismo,
o que, no fundo, nos abala:
só conhece a dor do tiro,
quem, no peito, apara a bala!

João Alberto Freitas e a esposa – Arquivo Pessoa

Leia também: Há 40 anos, livro de Abdias denunciada genocídio do povo negro

*Homem negro de 40 anos, João Alberto Silveira foi espancado e morto por dois homens brancos em Porto Alegre (RS) na véspera do Dia da Consciência Negra.

*O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado, no Brasil, em 20 de novembro com o propósito de refletir sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir com o dia atribuído à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695, um dos maiores líderes negros que lutou pela libertação dos escravos no Brasil. 


  •  
  •